Golpe do supletivo: como identificar e evitar

Facebook
Twitter
LinkedIn
Golpe do supletivo

Já ouviu falar de alguém que caiu em um golpe do supletivo? Por aqui, escutamos milhares de histórias parecidas, em que alguém decide terminar os estudos e correr atrás de seus sonhos e, só depois, acaba descobrindo que o diploma que recebeu era falso ou inválido.

Isso pode gerar muita frustração, principalmente porque o processo de terminar os estudos nem sempre é fácil e muitos precisam abdicar de outras áreas de suas vidas para passar por isso.

Como funcionam os supletivos

Muitas pessoas acabam deixando os estudos de lado na infância e adolescência pela dificuldade de acesso às escolas ou pela necessidade de trabalhar desde cedo para ajudar a família. 

Desse grupo de pessoas, a maioria não busca terminar os estudos depois de adultas por causa da rotina, ou por não verem necessidade, ou até mesmo por causa do medo, da vergonha e da sensação de incapacidade que muitos sentem.

Mesmo com os supletivos, que possuem uma duração menor do que as séries do Ensino Fundamental e Médio, ainda assim, é demandada muita disponibilidade e tempo dos alunos.

EJA, Ceeja, Ceebja

Estudar 4 horas por dia, todos os dias, não é algo que se encaixa no dia a dia da grande maioria das pessoas que estão em busca de terminar os estudos. 

Apenas isso já faz com que os supletivos convencionais não sejam a melhor opção nesses casos. E, além disso, podem demorar vários anos até serem completos e, por causa disso, muitas pessoas acabam desistindo no meio do caminho. 

Geralmente, a cada ano do ensino básico que ficou faltando completar, é exigido um semestre de supletivo, ou seja, se você parou de estudar na 6ª série, por exemplo, seria necessário cumprir, pelo menos, 3 anos de aulas para conseguir seu diploma do Ensino Médio.

E, ainda por cima, podem existir filas de espera nos supletivos, de acordo com a demanda existente em cada lugar, o que atrasaria ainda mais esse processo de terminar os estudos.

Cuidado com os golpes (falso supletivo)

Existem diversos relatos na internet de pessoas que caíram no golpe do supletivo.

Pense no seguinte cenário: você está buscando se formar no Ensino Médio e te fazem a promessa de terminar os estudos de forma rápida. Geralmente é cobrado um valor e oferecido um curso, como em um supletivo convencional.

Até então, tudo parece estar certo. Ao concluir o curso, a pessoa recebe, inclusive, o certificado de conclusão do ensino médio mas, ao tentar utilizá-lo, percebe que, na verdade, recebeu um certificado inválido. 

Isso pode acontecer porque diversas instituições fazem a promessa do diploma sem serem, realmente, certificadas pelo Ministério da Educação, ou seja, oficialmente não poderiam emitir certificados e diplomas oficiais, aprovados pelo MEC.

Como identificar golpes

O golpe do supletivo existe e vai continuar existindo, por isso, é preciso saber identificar casos suspeitos para não ser prejudicado.

Para ter certeza que um supletivo não é golpe, ele precisa ser certificado pelo MEC. Para checar essa informação, você pode consultar a rede de ensino da sua cidade acessando o site da Secretaria de Educação do estado em que você mora. Dessa forma, você consegue consultar as instituições oficiais que podem gerar o certificado oficial para você.

Algumas instituições, como nós do Termine, não emitem o certificado e, sim, fazem a preparação de seus alunos para a certificação. Sendo assim, não precisam ser reconhecidas pelo Ministério da Educação, já que não fazem o processo de certificação, propriamente dito.

Novidade lançada pelo MEC

Existe uma nova modalidade de supletivos criada pelo próprio Ministério da Educação que tem como objetivo principal facilitar o processo de certificação de jovens e adultos no Brasil: o Encceja.

Encceja é a sigla para Exame Nacional para a Certificação de Competência de Jovens e Adultos. É uma prova que tem como objetivo oferecer o certificado de conclusão de nível fundamental ou médio para aqueles que forem aprovados. 

O exame é realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) juntamente com as secretarias municipais e estaduais de Educação.

No Encceja, todos os que têm 15 anos completos no dia em que a prova será aplicada podem realizar a inscrição para o Ensino Fundamental. Já para os que têm 18 anos completos no dia em que a prova será aplicada, podem realizar a inscrição para o Ensino Médio e já concluir os estudos de uma vez só. 

Por ser uma prova elaborada, executada e aplicada pelo Ministério da Educação, o seu certificado é totalmente válido e você não precisa se preocupar com os golpes de supletivo, nesse caso.

More to explorer

Local de prova Encceja 2024

O Inep divulga os locais de prova algumas semanas antes do exame, em agosto. Isso significa que você terá tempo suficiente para se preparar!

SIGA-NOS